A1BA67D6-B7F5-4EE9-B96E-A3C6C6A729C2TIM banca virtual
99BC25CD-9209-40C8-AC3C-7870EBF636C3

Publicado em 23 de junho de 2022

Municipários aprovam proposta da prefeitura de Porto Alegre

Uma nova assembleia geral promovida pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), nesta quinta-feira, aprovou proposta de reajuste inflacionário da categoria. Desta vez, consiste no pagamento de 3% em julho e 2,74% em outubro como parte da integralização dos 14,79% aprovados na última assembleia, correspondentes ao período da gestão Melo (maio de 2021 a abril de 2022). O sindicato acordou uma nova reunião com o governo em agosto para dar continuidade à negociação do restante (4,73%). A reunião ocorreu na quadra da Escola Imperadores do Samba, no bairro Praia de Belas, em Porto Alegre.

Na avaliação do diretor geral do Simpa, João Ezequiel da Silva, a luta da categoria foi fundamental para avançar sobre a proposta original. "O período de parcelamento da reposição inflacionária, que se estendia até janeiro de 2023, foi reduzido para outubro e também foi feito o pagamento de parte da reposição, de 4%, a partir de abril", afirmou. Ao mesmo tempo,  Silva destacou que houve melhoria no reajuste do vale alimentação, que aumentou de 10,06% para  25%, pagos a partir de maio, além de redução de 100 para 70  parcelas de pagamento das progressões, mas reitera que a prefeitura tem recursos para cobrir a proposta de 14,79%. 

Desde o segundo semestre do ano passado, Simpa e prefeitura debatem para chegar a um consenso sobre o reajuste salarial pleiteado pela categoria. Quatro propostas já foram apresentadas, 16 de março, 12 de abril, 10 de maio e 13 de junho. A aposentada Nara Panzierra disse que a falta de reajuste torna difícil o sustento. "Eu tenho meu marido que me ajuda muito, senão seria mais complicado",salientou. Municipário há 22 anos, César Castanho, ressaltou que em seis anos recebeu apenas 4% de reajuste pagos em abril por Melo. Ele questiona o papel da justiça, já que entende que o salário é verba alimentar e para outras áreas, como educação e saúde, áreas que ele entende que estão passando por um "desmonte" em todas as esferas públicas.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar a sua experiência

Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa política de privacidade.